História

por Prefeitura Municipal de Dores do Rio Preto — última modificação 14/09/2015 09h19
Dores do Rio Preto é um município brasileiro do estado do Espírito Santo. Sua população estimada em 2010 era de aproximadamente 7.000 habitantes. É o município de acesso ao Pico da Bandeira, 3° maior pico do país, com 2892 m, no Parque Nacional do Caparaó pelo lado capixaba, sendo o único a ter uma portaria de acesso no Espirito Santo, que tem subida com nível de dificuldade menor e urbanização que facilitam movimentação e acampamento. É o município com a sede mais elevada do estado, com 774 metros. E também é o único município com sede a mais de 700 metros no extremo sul do estado.

HISTÓRIA

O começo do povoamento do município de Dores do Rio Preto, é do final do século XIX e início do século XX. Seu primeiro nome foi Vila Divisa, cujo terreno foi doado por Firmino Domingos Dias e pertencia ao município de Guaçuí.Em 1912 foi construída a Estrada de Ferro Leopoldina que ligava Vila Divisa aos Estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Esta ferrovia ajudou muito para o desenvolvimento e o progresso local.o período de 1912 a 1950, o distrito viveu seu apogeu comercial com a exportação de madeiras e de cereais.Em 30 de dezembro de 1963 foi criado o município de Dores do Rio Preto, através da Lei nº 1.914, sendo fundado no dia 7 de abril de 1964. Sua denominação foi dada em homenagem a padroeira Nossa Senhora das Dores e ao Rio Preto, que banha a cidade.Dores do Rio Preto foi palco da Guerrilha do Caparaó, instabilidade política ocorrida em 1964, período em que começou a Ditadura Militar no Brasil. Em 1967 as forças armadas montaram um esquema tático para capturar ex-militares que faziam parte do grupo revolucionário e que estavam refugiados no Parque Nacional do Caparaó.O exército usou como base de acampamento todos os municípios vizinhos, assim como Dores do Rio Preto.O primeiro prefeito do município foi o Sr. Wlademiro Azevedo Carvalho e o segundo, o Sr. Manoel Cardoso Martins, ambos nomeados pelo Governador do Estado, Francisco Lacerda de Aguiar. A 1ª eleição no município data de 1966 quando o Augusto Otaviano foi eleito prefeito.

FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA

Distrito criado com a denominação de Rio Preto, pela lei municipal n 7 13, de 17-06-1896, subordinado ao município de Alegre. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de Rio Preto figura no município de alegre.Pela lei estadual nº 1688, de 25 -12-1928, transfere o distrito de Rio Preto do município de Alegre para o município de Sigueira Campos. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de Rio Preto figura no município de Sigueira Campos. Assim permanecendo em divisão territorial datadas de 31-12-1936 e 31-12-1937. Pelo decreto lei estadual nº 15177, de 31-12-1943, o distrito de Rio Preto passou a denominar-se divisão sob o mesmo decreto o município de Sigueira Campos a denominar-se Guaçuí. No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o distrito já denominado Divisa figura no município de Guaçuí. Em divisão territorial datada de 01-07-1955, o distrito Divisa pertence ao município de Guaçuí. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 01-07-1960. Elevado à categoria de município com a denominação de Dores do Rio Preto, pela lei estadual nº 1914, de 30-12-1963, desmembrado de Guaçuí, sede no atual distrito de Dores do Rio Preto ex-Dilisa. Constituído do distrito sede. Em divisa territorial datada de 31-12-1963, o município é constituído do distrito sede.Pela lei estadual nº 3450, de 29-12-1981, é criado o distrito de Mundo Novo e anexado ao município de Dores do Rio Preto. Em divisão territorial datada de 18-08-1988, o município é constituído de 2 distritos: Dores do Rio Preto e Mundo Novo. Pela lei nº 002/98, de , é criado o distrito de São Raimundo da Pedra Menina e anexado ao município de Dores do Rio Preto. após 1995.Em divisão territorial datada de 15-07-1997, o município é constituído de 3 distritos: Dores do Rio Preto, Mundo Novo e São Raimundo da Pedra Menina.Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2003. Transferência distrital Pela lei municipal nº 1688, de 25-12-1920, transfere o distrito de Rio Preto do município de Alegre para o de Sigueira Campos. Pelo decreto lei estadual nº 15177, de 31-12-1943, o município de Sigueira Campos passou a denominar-se Guaçuí e o distrito figura no município. 

ALTERAÇÕES TOPONÍMICAS DISTRITAIS

Rio Preto para Divisa alterado, pela lei estadual nº 15177, de 31-12-1943. Divisa para Dores do Rio Preto alterado, pelo lei estadual nº 914, de 30-12-1963.

GEOGRAFIA 

A sede do município fica a 774m, porém alguns pontos da cidade chegam a 2892m, porém há algumas áreas mais baixas próximas ao Rio Preto, que são exploradas para a agricultura.

CLIMA

O clima é tropical de altitude, da variação Cwb, a temperatura média anual é de 19.2°C, sendo as mínimas médias no mês mais frio (julho) de 9.9°C e as máximas médias do mês mais quente (março) de 28,3°C.

Fonte: Wikipédia